Regras não Ditas

14 Jun

Um rapaz tem um primeiro encontro com uma rapariga e ela chega vinte minutos atrasada. Vamos pôr de lado a possibilidade (muito provável) de que ele já tenha uma regra relacionada com a pontualidade – por exemplo que as pessoas devem chegar a horas, ou qualquer outro postulado. Em vez disso vamos partir do princípio que a novidade deste experiência, a par com a crença de que as raparigas são sobre-humanas, seres angélicos, fá-lo acreditar que há uma lei universal em tudo o que ela faça, por isso nada dirá acerca desses vinte minutos por palavras ou atitudes. Ao não comentar o atraso ele deixou que se estabelecesse a primeira regra do seu relacionamento: ela agora tem o “direito” de chegar tarde e ele não tem o “direito” de se queixar. De facto, se noutra ocasião ele a criticar por o fazer esperar, ela justificar-se-à perguntando “porque é que agora de repente te queixas disso?”.

Paul Watzlawick in A Realidade é Real?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: